[Coluna NES] Ame agora!

por Betho Wilson

Eu sempre gostei de ter amigos e sempre tive facilidade de conquistar novos em todos os ambientes que frequentei. Na verdade, eu sempre quis ser amigo de alguém e poder viver aventuras, compartilhar experiências, confessar sentimentos e sonhos, enfim, fazer parte da vida de alguém que como eu, desejasse nunca crescer, vivendo em uma eterna infância e juventude mágicas.

Da creche Coração da Mamãe, nos idos de 1980, passando pelo ensino primário, ginasial, e do ensino médio, até à vida missionária e de estudos religiosos, foram muitas as pessoas que encontrei no meu caminho e que conquistaram um pedaço do terreno do meu coração. Os mais marcantes eu lembro bem, e me pego por vezes rindo das lembranças que me ocorrem quando abro a gaveta da memória buscando essas recordações. Como é bom ter amigos!

Na vida adulta não está sendo diferente, tenho alguns novos irmãos, pois é assim que enxergo meus mais fiéis companheiros de jornada, que para além da localização de onde vivem hoje permanecem muito próximos a mim, compondo com uma salutar parceira essa parte da minha vida.

Hoje eu decidi falar sobre amizade porque acordei assim, saudoso de um abraço e riso sincero, e, logo me peguei pensando: por onde andará esses homens e essas mulheres que dividiram comigo dias incríveis de amor e parceria quando jovens e que hoje não tenho a menor ideia como tocam suas vidas sobretudo nesses últimos dois anos de enfrentamento à pandemia que nos fez buscar ainda mais a distância física que agrava inevitavelmente o afastamento das almas?

Às vezes, somos aquele que esquece e em outros momentos somos os esquecidos. Em que posição você está agora? Como se sente nesse lugar? Como você chegou nele? Recorrendo a um clichê eu digo que não são as respostas que movem o mundo e sim as perguntas. Então se você está parada no tocante às relações e deseja muito sair desse lugar se pergunte, se questione o porquê de estar exatamente aí e se incomodar com isso.

O amor, cantando, declamado, escrito, e interpretado em atuações homéricas, precisa ser vívido e vivido em atos dos mais simples aos que parecem saídos de um conto. O amor é fluído, e sendo assim precisa de espaço, e dar espaço não é abandonar, é deixar o outro se espalhar em mais amor numa troca ininterrupta dos melhores sentimentos mesmo quando esses dão lugar ao seguimento de tristezas.

Te desafio hoje a buscar na memória aquela melhor lembrança da pessoa que você um dia já chamou de amigo-amiga, parceiro-parceira, cêro-cêra, irmão-irmã e dar um passo ou um clique na missão de reencontrar e dividir sua história atual buscando complementaridade na história atual dela e ainda, numa resenha à moda antiga, matar a saudade do que está guardado aí, em sua memória afetiva.

Esse vírus não nos vencerá, a distância não nos transformará em zumbis, o novo não nos fará desprezar a história.

Ame agora!

COMPARTILHAR
Redação NES
NORDESTeuSOU.com.br, o Portal do Nordeste de Amaralina que tem o Objetivo de desfazer o mito de que a comunidade do Nordeste de Amaralina é dominada pelo crime, divulgando ações de esporte, lazer e entretenimento dentro da comunidade bem como notícias externas que direta ou indiretamente.