[Opinião] Feliz Natal ?

Foto: Reprodução

Então, é Natal. É época de confraternização. O comércio esfrega as mãos ávido pelos vultuosos lucros dos presentes. A ideia é esquecer as agruras ocorridas durante todo ano e brindar o nascimento do menino Jesus. Aliás, o lado religioso da festa é comumente relegado ao segundo plano. Os presépios natalinos, que outrora era tão cuidadosamente montados, sobretudo nas cidades do interior, ainda resistem a duras penas. A hora e a vez são das suntuosas árvores natalinas, que mais parecem símbolos de ostentação, onde a quantidade de bolas, brilhantes, enfeites e pisca-piscas são diretamente proporcionais ao poderio financeiro do seu dono.

Se nos chamados bairros nobres de Salvador, os efeitos da pandemia em nada abalaram a mesa, recheadas de chesters, panetones, defumados e afins, na periferia a ceia natalina promete ser ainda mais tímida. Na Graça, Barra ou Horto Florestal Papai Noel promete não economizar para presentear os pimpolhos da high Society soteropolitana, futuros ocupantes dos espaços de poder. “Desde que o samba é samba, é assim”. Em contrapartida, no Nordeste de Amaralina, Vale das Pedrinhas ou Santa Cruz o “bom velhinho” promete ser ainda mais cruel. “Ô mundo tão desigual…”, diria Gilberto Gil.

Como ficam os meninos e meninas que tiveram seus pais assassinados durante as violentas incursões policiais na periferia? A noite de Natal jamais será completa sem o calor paterno…. Como confortar inocentes corações ? E os homens e mulheres desempregados por conta da pandemia? Serão agraciados pela graça de Deus assim como fora feito com José e Maria? E as crianças que nascem diariamente “sem mel, sem céu e sem sonho?” Que os três reis magos transformem em abundância a possível fatalidade dos seus destinos…E como será a ceia dos milhares de jovens, moradores de Complexo, em sua maioria negros e negras, que têm seus espaços cerceados por conta da política opressora do Estado?? Como ficam as baianas de acarajé e vendedores de coco do Largo de Amaralina, com seus tabuleiros e barracas esvaziados? E aqueles que vivem sem perspectivas, à margem da sociedade, fora do alcance dos olhos de Deus e do poder público? Como desejar feliz natal de barriga vazia?

Feliz Natal?

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU