ABCN reitera posição de demais entidades ligadas ao Carnaval e cobra celeridade sobre decisão de realização da festa; veja nota

A Associação de Blocos Carnavalescos do Nordeste de Amaralina (ABCN) emitiu uma nota em solidariedade à carta aberta, assinada por entidades ligadas à realização do Carnaval, e enviada ao ao governador da Bahia, Rui Costa (PT) e ao prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM). No texto, assinado por 14 grupos, entre associações, sindicatos e federações, os profissionais do entretenimento ligados à festa de rua pedem que seja tomada uma decisão conjunta entre governo e prefeitura sobre a manutenção ou não do evento. 

“Por questões sanitárias, o setor de entretenimento ficou parado por mais de 18 meses, o que resultou em profundas e em alguns casos irreparáveis sequelas. Segmentos ligados ao Carnaval de Salvador, que movimenta bilhões na economia do Estado, foram duramente impactados. Estamos no final do segundo semestre e no Brasil, diversas cidades já confirmaram o interesse na realização do Carnaval. Em Salvador, berço cultural da festa, os segmentos envolvidos com o evento precisam se organizar e planejar os trabalhos. Acreditamos na competência dos diversos atores envolvidos, na festa que é o grande ativo do Estado na atração de turismo, emprego e renda”, finaliza o texto. Além de ser enviada aos gestores, o texto foi publicado nas redes sociais de várias das entidades que assinaram o documento”, diz parte do texto.

Para a ABCN, é necessário que, tanto o Estado quanto a Prefeitura,”sejam céleres na decisão da realização do carnaval de Salvador”.

“Principalmente e sobretudo nosse momento de crise econômica que afeta todos os brasileiros, mas de forma mais cruel os trabalhadores informais e blocos que tem no carnaval sua principal fonte de renda como fator de equilíbrio no seu orçamento anual”, diz a nota assinada pelo presidente da ABCN, Robson Vieira.

Veja nota na íntegra:

A ABCN que coordena o Carnaval do Circuito Oficial Mestre Bimba no Nordeste de Amaralina, se solidariza com a Nota Pública assinada pelo Comcar e nossos parceiros acerca do carnaval de Salvador, esperando que o Governo do Estado e o Prefeito de Salvador sejam céleres na decisão da realização do carnaval de Salvador.

Principalmente e sobretudo nosse momento de crise econômica que afeta todos os brasileiros, mas de forma mais cruel os trabalhadores informais e blocos que tem no carnaval sua principal fonte de renda como fator de equilíbrio no seu orçamento anual.

COMPARTILHAR
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU