Artista plástico do Nordeste de Amaralina homenageia “Santa Dulce dos Pobres” em obra; veja imagens

Uma homenagem à primeira santa brasileira, Irmã Dulce ou Santa Dulce dos Pobres. Esse foi o objetivo da obra do artista plástico, Samuel Cruz. Nascido e criado no bairro da Santa Cruz, no Complexo Nordeste de Amaralina, Samuel se tornou famoso por suas peças esculpidas em papel jornal. A inspiração para dar vida, através da sua arte, à freira baiana vem, segundo ele, da sua própria devoção e admiração pelo “Anjo Bom da Bahia”.

“O que me inspirou a fazer Irmã Dulce é a grande personalidade que ela foi. A canonização dela, sendo a primeira santa brasileira. Uma  professora, acolhedora dos pobres, principalmente dos negros.  As obras assistenciais Irmã Dulce…”, explica Samuel.

“Busco através da minhas obras fazer com que a pessoas possam refletir que é bom a gente fazer bem ao próximo. Você não precisa ser um santo para isso. Você pode começar através de uma doação, uma sopa que você faz e compartilha, um pão que você compra… Criar Irmã Dulce é trazer à memória a bondade das pessoas”, completa o artista .

A questão da religiosidade, aliás, é uma constante no trabalho de Samuel, que trabalha desde orixás até santos católicos:

“Essa temática, por tratar da religiosidade, acaba atraindo uma atenção maior das pessoas. Tenho me inspirado nas imagens de santos, procurando saber a sua história, o que eles faziam e eram… Por exemplo: Cosme e Damião eram dois irmãos, médicos, e que atendiam em devoção à fé. Aqui na Bahia, essa questão da religião e matriz africana, é muito forte. Algo muito dominante”, explica

COMPARTILHAR
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU