Conheça a história do “trans” Yuri Carvalho que sonha com a “cicatriz da liberdade”

“Não é apenas uma cirurgia. É a minha liberdade. O fim de muitos machucados e o inicio de uma nova vida”. É assim que o transexual Yuri Carvalho, de 34 anos, enxerga a mastectomia masculinizadora, cirurgia para a retirada das mamas.

Em relato comovente pelo Instagram, ele, que é morador do Nordeste de Amaralina, revelou as dificuldades de ter seio em um corpo masculino. No entanto, a cirurgia não terá apenas uma finalidade estética. Com o tratamento hormonal a base de testosterona, as mamas podem ocasionar problemas futuros na saúde e percalços na vida profissional do transexual.

“Nós, homens trans, precisamos fazer a cirurgia em algum momento das nossas vidas por nossa saúde mental, fora nos danos que possam surgirem na minha vida profissional, pois sou selecionado, mas não posso participar por conta dos seios”, acrescentou Yuri que é modelo.

 Para realizar o sonho de remover as mamas, ele realiza uma vaquinha virtual. Quem puder ajudar é só fazer uma doação de qualquer valor pela Caixa Econômica Federal. “Todo e/ou qualquer dinheiro arrecadado será usado apenas para a cirurgia”, frisou.

Dados:

Caixa Econômica Federal

Tércia Liliam A.dos Santos

Agência:1018

Operação:013

Conta:20246-3

Cof:810129 93515

Mais informações: @yuri_anjo

SAIBA MAIS:

A mastectomia masculinizadora é a cirurgia plástica feita para dar uma aparência masculina ao tórax de uma mulher ou, ainda, em homens que tenham seios mais desenvolvidos.

Nesta cirurgia é feita a retirada das mamas, usando diferentes técnicas, conforme a decisão do cirurgião plástico e dependendo do tamanho e do tipo dos seios de cada pessoa. No caso de mamas pequenas, a retirada da glândula mamária pode ser feita por meio pela aréola, deixando a cicatriz ao redor dela. O tecido mamário também é retirado e pode ser feita uma lipoaspiração para ajustar a área do tórax. Já em mamas maiores, pode ser feita a incisão pelo sulco inframamário, com a cicatriz ficando abaixo do músculo peitoral. O excedente de pele é retirado e a aréola e o mamilo são reposicionados.

A cirurgia leva entre 1 e 4 horas e tem os mesmos riscos que qualquer outra cirurgia, como sangramentos e hematomas.

Fonte: https://www.clinicakamamoto.com.br/mastectomia-masculinizadora/

Por Luis Lago

COMPARTILHAR
Luis Lago
Amante da Literatura, apaixonado pelas Letras. Discente de Letras Vernáculas e Língua Inglesa, poeta, escritor , blogueiro, professor e Repórter do site NES.