O Poder Do empoderamento feminino

Empreendedorismo e confiança são palavras chaves para definir a “Feijoada das Empoderadas”. O “projeto”, que acontece aos sábados, começou há cerca 5 meses e já vem fazendo o maior sucesso nos arredores do Complexo Nordeste de Amaralina. O ponto de venda é situado no Itaigara, em frente ao Posto dos Namorados.


O Nordesteusou (NES) foi à campo contar a história de vida das idealizadoras da feijoada: Roseni e Elisangela. Roseni mais conhecida como Rose, 38 anos, moradora do Nordeste desde que nasceu, conta que vinha sofrendo com a ausência de um emprego efetivo, seguindo o regime CLT. Assim, Rose encontrou no serviço como ambulante um meio para conquistar a vida. À frente do seu tempo, a comerciante compartilha de grandes qualidades: empoderada, determinada e independente, de acordo com opinião das suas filhas.

“Minha mãe é uma mulher maravilhosa, independente, batalhadora, que corre atrás dos seus sonhos” relata Beatriz sua filha mais nova e foi através da jovem que as socias se conheceram.

Elisangela, constantemente chamada de Eli, 40 anos, é mais uma refém dos índices que atingem grande parte das mulheres negras. Eli é empregada domestica. Todavia, a mesma sempre foi apaixonada pela culinária, sonhando no teu próprio restaurante, então sempre que possível uma nova receita sai da sua cozinha.

” O nome surgiu após uma reflexão sobre nossa garra em querer iniciar um projeto do zero, daí veio o empoderadas”. Relata Rose

Então, quando se conheceram decidiram abrir o empreendimento, unindo duas coisas maravilhosas, o dom culinário e empoderamento, desta forma nasceu oficialmente a FEIJOADA DAS EMPODERADAS. Mulheres guerreiras e fortes, conquistando o mundo.

” Como todo negócio enfrentamos dificuldades no início, hoje elas se permeiam na falta de espaço próprio, algo mais estruturado pois vendemos em um ponto de ônibus. Porém, o sentimento ainda é de realização principalmente pela escolha do prato que tem um cunho representativo muito grande nas nossas histórias enquanto mulheres pretas, e hoje é um alimento que reúne a galera, seja após um babá ou antes do trabalho todos acabam curtindo um som com aquele prato de feijoada ao lado. “

Mais informações:
@feijoada_das_empoderadas.

COMPARTILHAR
Apaixonada pela arte de se comunicar, pois através dela podemos quebrar barreiras. Estudante de jornalismo, ativista e leitora ativa.