A ‘farofa’ está liberada no réveillon da Praia de Amaralina.

Ave que cisca pra trás não pode, mas isopor com bebidas e comidas é obrigatório.

Na beira da praia, vale tudo (ou quase): armar a tenda, estender a canga e improvisar no isopor boa parte do frigobar. Ah, e não dá para esquecer os brinquedinhos para as crianças. Já virou tradição de várias famílias transferirem o réveillon para as areias da Praia de Amaralina.

“Ir para Praia de Amaralina é tradição de minha vó. Ela faz de tudo. A gente compra, embala, coloca tudo na caixa térmica e vem pra praia fazer aquela festança”, explica Luciana, 35, frequentadora assídua da praia.

Já Rafael, 23, e Luiz, 27, amigos, afirmam que armam a tenda um dia antes. “A onda é pegar logo seu lugar. Se você vacilar não acha espaço. Desce a galera toda do Nordeste e das adjacências. Afinal, ninguém quer ficar de fora, né?”, finaliza Luiz.

Para Gabriel, 21, é a oportunidade de conhecer alguém pra fechar o ano ou começar o próximo com chave de ouro. “Eu vou estar com amigos e familiares, mas a ideia é não tirar o olho da galera que estará por lá. Sou desbloqueado, pode ser um novinho ou uma novinha, o importante é beijar muito e quem até…”, finaliza em risos. 

Para quem acredita nas mandingas de fim de ano, a ceia é quase que uma obrigação. Por exemplo, nada de levar um frango assado à praia, porque galinha cisca pra trás e você não quer que seu 2020 seja um retrocesso. Por isso se come tudo menos galinha, frango ou peru.

O clássico é a lentilha. Não é tão simples como fazer um sanduíche, mas também, com planejamento e organização, dá para preparar uma ceia de dar INVEJA aos amigoss, ainda barata e gostosa. Mas fica o alerta, a ”farofada” é uma das responsáveis pelos de intoxicação alimentar. A recomendação é escolher bem os alimentos que se leva para a areia e armazená-los corretamente.

O que vale mesmo é brindar a chegar de 2020. Não vale deixar garrafas por toda parte, fazer xixi nos muros, na calçada, entre carros. Falar alto, beber em exagero e acabar com a festa dos outros.  Farofeiro não é sinônimo de deselegância. Tem que juízo. Leve seu som portátil. E liberte o pagode-funk-sertanejo. Meta passos da Fitdance, ou apenas dance do jeito que achar melhor, sem se preocupar com o que vão dizer. Se quiser levar cerveja compre um cooler no formato de lata (é chique). Arme sua tenda ou atole a cadeira na areia, mas não coloque a tia nela. Maldades estão fora. Comece o ano sendo um anjo, cão. Capriche na marmita (e me chame). Enterre os parentes na areia (mas faça isso quando ele já tiver ‘travado’), isso é legal para o álbum da família.

Feliz ano novo! Feliz vida nova! Feliz todos os dias diferentes! Feliz não ter que esperar por nada! Feliz novo ano, feliz novo você!

Tim-Tim! (a gente se vê no ano que vem!).

COMPARTILHAR
Graduando em Ciências Contábeis Ativista Social e Produção Geral do Portal NORDESTeuSOU