‘Nunca vão silenciar a favela’, diz Rennan da Penha em show após deixar a cadeia

Símbolo do movimento #DJNãoÉBandido, funkeiro se apresentou no festival Verão Sem Censura na sexta (17)

Dois meses após deixar a cadeia no Rio de Janeiro, o DJ Rennan da Penha se apresentou na noite de sexta-feira (18) na Praça das Artes, centro de São Paulo, durante o festival Verão Sem Censura, lançado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB0.

No ano passado, Rennan ficou sete meses detido, após ser condenado a seis anos e oito meses por associação para o tráfico de drogas. Havia sido inocentado a princípio, mas a decisão foi revertida na segunda instância, e ele foi preso em abril.

O show de Rennan da Penha integra o festival Verão Sem Censura, lançado pela gestão Bruno Covas (PSDB) em reação a atitudes vistas como ataques à liberdade de expressão no Brasil.

“Muita gente ​acha que baile de comunidade é só arma e coisas erradas. Se 60% das pessoas que estão aqui pensaram que não tinham nada para comer, em entrar para o crime, e a música salvou, não é muita gente? Diga não ao preconceito contra o funk. Nunca vão silenciar a favela”, disse ele, durante sua apresentação.

Rennan da Penha virou símbolo do movimento #DJNãoÉBandido, contra a criminalização dos bailes de favela. O evento conta com shows, peças de teatro, exposições e debates espalhados pela cidade até o dia 31.

COMPARTILHAR
Voz das Comunidades
No ano de 2005, época em que a mídia tradicional nem se quer mencionava o que existe de bom nas favelas e os verdadeiros problemas sociais que os moradores enfrentam no dia-a-dia, foi quando um menino de 11 anos de idade, aluno de uma escola municipal, decidiu criar um jornal pra comunidade do Morro do Adeus, uma das 13 que formam o Conjunto de Favelas do Alemão, pra mostrar tudo o que acontecia na sua comunidade.