Coronavírus pode ficar no pênis por até 6 meses após infecção e gerar impotência

Grupos de homens que desenvolveram a Covid-19 relataram dificuldade em manter ereções

O coronavírus pode se manter no pênis por até seis meses após a infecção e aumentar o risco de impotência sexual. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (12) em reportagem do jornal britânico “The Sun”. Conforme especialistas que têm estudado a Covid-19, a condição é chamada “disfunção endotelial”, e ocorre por meio da diminuição de circulação de sangue no corpo. 

O autor do estudo. Ranjith Ramasamy, professor associado e diretor do Programa de Urologia Reprodutiva da “Miller’s School”, disse, em entrevista: “Nossa pesquisa mostra que a Covid-19 pode causar disfunção endotelial generalizada nos sistemas de órgãos além dos pulmões e rins. Isso pode afetar diversos órgãos, inclusive o pênis”. 

Os pesquisadores colheram amostras de tecido de homens que foram infectados pelo coronavírus, e outros que não tiveram histórico da doença. Parte dos que desenvolveram Covid-19 foi hospitalizada, e parte sofreu com sintomas leves. Ambos grupos relataram dificuldade em manter ereções. 

“Os homens que desenvolvem a infecção devem estar cientes de que a disfunção erétil pode ser um efeito adverso do vírus, e devem ir a um médico se desenvolverem sintomas”, relatou o especialista. 

Pesquisadores ainda disseram que este pode ser o primeiro passo para entender o potencial impacto do vírus na fertilidade masculina. Também, o estudo visa identificar se a Covid-19 pode ser sexualmente transmissível.

COMPARTILHAR
Redação NES
NORDESTeuSOU.com.br, o Portal do Nordeste de Amaralina que tem o Objetivo de desfazer o mito de que a comunidade do Nordeste de Amaralina é dominada pelo crime, divulgando ações de esporte, lazer e entretenimento dentro da comunidade bem como notícias externas que direta ou indiretamente.