“Estamos vivendo um surto. O Nordeste está empesteado de covid”, alerta moradora

“Precisamos fazer alguma coisa. Na minha rua, somente essa semana morreram três pessoas por conta dessa doença. Estamos vivendo um surto. O Nordeste está empesteado de covid.”, relatou à nossa equipe uma moradora do Nordeste de Amaralina. De acordo com os dados oficiais, desde o inicio da pandemia, em março do ano passado, cerca de 7.400 pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus na região, sendo a Santa Cruz o local com o maior número de incidência de casos. O grande número de moradores que foram a óbito durante a pandemia torna ainda mais trágico o cenário.


A morte de Dona Maria das Graças, 71 anos, e seu filho Claudio Henrique Assis, de 46, ambos moradores da 1ª Travessa Reinaldo de Matos, no final de linha do Nordeste, causou grande comoção na comunidade. Bastante conhecido no bairro, Cláudio faleceu na última quarta-feira (10) quatro dias após sua mãe. Na sexta-feira o bairro mais uma vez se cobriu de luto. O surfista Thuim, proprietário de um bar na rua principal do bairro, também acabou não resistindo às complicações da covod-19. Neste sábado (13), foi a vez de dona Bel, que era dona de um antigo comércio ao lado da Igreja São José.

“Meu deus onde vamos parar com tanta falta de consciência das pessoas. Muita gente conhecida aqui na nossa comunidade está morrendo. A praia está cheia de gente sem máscara, na feira também, pessoas circulando nos pontos comerciais”, reclama Marcela, moradora do bairro. De Acordo com a jovem, somente nas últimas semanas cerca de 20 casos foram registrados na rua onde reside. Apesar das medidas restritivas e fechamento dos serviços não essenciais, Marcela ressalta também que falta ao poder público entrar de forma mais incisiva na região. Ações de prevenção e fiscalização, segundo ela, precisam ser realizadas pelo Governo do Estado e Prefeitura. “É imprescindível que as ações sanitárias do poder público sejam urgentemente implantadas aqui no Nordeste de Amaralina. Precisamos da volta daquelas ações educativas, distribuição de máscaras, testagem, carro de som com avisos, higienização das ruas.”, completa a jovem. “Essa nova variante está f…E o pior é que as ruas estão cheias. A galera está insensível e parece ter perdido o medo. Salve- se quem puder”, diz João Carlos também morador da região.

*Nomes fictícios a pedido das fontes

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU