Pneumologista afirma que não há perspectivas próximas de controle da Covid-19 no Brasil

Foto: Leo Martins / Agência O Globo

Em entrevista ao jornal O Globo, a pneumologista e pesquisadora da Fiocruz, Margareth Dalcomo, afirma que apesar de viroses respiratórias terem tendência a desaparecer, isso não é esperado com a Covid-19. Por isso, a especialista ratifica a necessidade de uma vacina.

Segundo ela, “a doença está longe de ser controlada no país”, mas não há indícios de uma segunda onda ainda no Brasil.

“Não podemos cravar ainda. Considera-se a segunda onda de uma epidemia quando já houve uma redução grande e depois os números de casos e mortes aumentam em mais de 50%, como está acontecendo na Europa. No Brasil, podemos pensar nesse movimento apenas no Norte, nem isso se caracterizou ainda. Passamos pelo pico epidêmico lá pelo final de junho e mantivemos um patamar de transmissão muito alto ainda. A doença está longe de ser controlada no país”, explicou.

A especialista acredita que em 2021 várias vacinas já serão aprovadas.

“Esperávamos que as vacinas mal passassem do ponto de corte mínimo para aprovação pelos órgãos regulatórios, e alcançassem uns 60% de proteção. Isso se somaria à taxa de imunidade comunitária já alcançada em algumas áreas, chegando a uns 80%. Os números mais altos que têm sido divulgados são preliminares, precisamos avaliar melhor. Mas a nossa perspectiva é que tenhamos, em 2021, várias vacinas aprovadas”, completou.

COMPARTILHAR
Redação NES
NORDESTeuSOU.com.br, o Portal do Nordeste de Amaralina que tem o Objetivo de desfazer o mito de que a comunidade do Nordeste de Amaralina é dominada pelo crime, divulgando ações de esporte, lazer e entretenimento dentro da comunidade bem como notícias externas que direta ou indiretamente.