Diretor Geral da PF revela detalhes do dia da prisão do ex-presidente Lula

O diretor contou que 30 policiais estavam prontos para invadir o prédio do sindicato dos metalúrgicos

O diretor-geral da PF, Rogério Galloro, revelou detalhes das negociações para que Lula se entregasse no dia 7 de abril deste ano. Ele confidenciou que as negociações não foram amistosas e tiveram momentos de tensão entre a Polícia Federal e os petistas.

“Foi um dos piores dias da minha vida. Quando eles (interlocutores de Lula) pediram detalhes da logística da prisão, nos convenceram de que havia interesse do ex-presidente de se entregar ainda na sexta (6 de abril, prazo dado pelo juiz Sérgio Moro). Acabou o dia e ele não se apresentou (…) Chegou o sábado, Moro exigiu que a gente cumprisse logo o mandado”, contou Rogério em entrevista ao Estadão.

O diretor contou que 30 policiais estavam prontos para invadir o prédio do sindicato dos metalúrgicos e concedeu um prazo de meia hora para o ex-presidente deixar o prédio ou entraria com as forças policiais. Rogério Galloro explicou que no fato de Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal não o agrada e é um fato excepcional, a pedido do juiz Sérgio Moro.

COMPARTILHAR
NORDESTeuSOU.com.br, o Portal do Nordeste de Amaralina que tem o Objetivo de desfazer o mito de que a comunidade do Nordeste de Amaralina é dominada pelo crime, divulgando ações de esporte, lazer e entretenimento dentro da comunidade bem como notícias externas que direta ou indiretamente.