Direção do EPBM mira retorno às atividades presenciais e fala sobre adoção de protocolos para comunidade escolar: “A escola sempre teve esse cuidado”

“Entusiasmo, alegria e satisfação”. Foi com os esses sentimentos que a direção da Escola Professor Bernardino Moreira viu o anúncio de autorização das aulas presenciais nas unidades de ensino da capital baiana.  Ao longo dos mais de cinquenta anos de serviços prestados à educação, a instituição pela primeira vez se deparou com um desafio dessa magnitude. Já são mais de 400 dias sem aulas presenciais.

“Estávamos esperando pelo anúncio do retorno das aulas presenciais. Isso mostra a busca pela volta por esse “novo normal”, mas sem deixar a preocupação de lado, uma vez que, se trata de vidas. A escola desde o ano passado vem procurando se preparar para esse possível retorno. Com isso contratamos uma empresa, a Anjus, com uma equipe de infectologistas e enfermeiras para avaliar a situação da nossa unidade. Essa empresa fez uma vistoria na escola para ver se nossa estrutura estava mesmo adequada aos padrões recomendados para receber nossos alunos, professores e funcionários. Graças a Deus recebemos um certificado de que estamos de fato preparados para a volta às aulas presenciais. A escola sempre teve esse cuidado”, explica a diretora da EPBM, professora Analis Moreira.

De acordo com Analis, seguindo as recomendações da empresa e sua equipe de especialistas, uma série de medidas foram adotadas, inclusive com a elaboração de um manual.  As recomendações que constam nesse manual perpassam por: medidas de distanciamento social (com distanciamento mínimo entre alunos e professores e desestimulando contato próximo entre os discentes); limpeza e desinfecção dos ambientes (higienizar pisos, superfícies e objetos); cuidados no serviço de alimentação (com cuidados no manuseio dos alimentos); atenção aos fluxos e rotinas (uso correto de máscaras e higienização das mãos, aferição de temperatura).

Retorno – A decisão sobre o retorno imediato ou não das aulas presenciais na EPBM foi discutido em reunião virtuais com participação da comunidade escolar. Segundo Analis, 94% dos pais optaram pela continuidade da modalidade remota.

“Diante do cenário que existe hoje os pais ainda não se sentem à vontade de mandar os filhos à escola. Com isso, em reunião com nossa equipe chegamos ao bom senso de não voltar com as aulas presenciais. Decidimos esperar um pouco mais e esperar que o contagio diminua com a medida que aumente o número de vacinados, principalmente os nossos professores.  Pretendemos voltar no segundo semestre com todos os nossos profissionais já imunizados”, explicou.

Legado – A professora Analis ressalta ainda aos legados e ensinamentos deixados pela pandemia. Segundo a docente, a questão as ferramentas tecnológicas, fundamentas durante esse período, deverão ter vida longa no dia à dia das escolas.

“Com a pandemia avançamos muito anos na educação tecnológica. Graças a Deus, a EPBM já vinha investindo nesses recursos e se fortaleceu ainda mais nessas inovações direcionadas à educação. De agora em diante vamos manter a tecnologia no nosso processo de aprendizagem Gosto de utilizar a fala de Paulo Freire, onde ele diz que “a educação oferece autonomia e é cada vez mais libertadora”. A gente precisa ser libertada, sair do tradicional, sair da caixinha e desbravar esse mundo. Temos muitas novidades. Em 2020, alcançamos nossos objetivos de aprendizagem previstos no processo curricular dos nossos alunos.  Acompanhamos de perto os nossos alunos, sempre ressaltando a importância da parceira com as famílias. Em 2021, não tem sido diferente”

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU