Moradora do Nordeste de Amaralina faz “vaquinha solidária” para realizar seu sonho de ser médica.

A jovem moradora do nordeste de Amaralina, Edilia Thereza Borges, mais conhecida como Lia Borges, de apenas 20 anos, deseja realizar seu sonho de infância de se tornar médica. Porém, sua família não tem condições de pagar uma faculdade particular. A única saída da jovem era então ser aprovada através do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o que acabou não acontecendo. Assim, Thereza resolveu tentar cursar medicina numa universidade da Argentina. No entanto, sem condições financeiras, decidiu criar uma vaquinha virtual para conseguir dinheiro.

Em conversa com a equipe do NordesteEuSou Edilia Thereza contou um pouco do seu projeto: “Desde criança eu tenho o sonho de ser médica, mas minha família nunca teve condições financeiras de arcar com uma faculdade de R$8 mil. Não pude pagar cursinho e sabemos que o método de entrada na UFBA é bem complexa, decidi caminhar para enfermagem, pensando que trabalhando como enfermeira conseguiria pagar a “facu” de medicina, porém esses profissionais não são valorizados no Brasil, e isso tudo só me gerou muita frustração.”

Infelizmente, como muitos estudantes que almejam o curso de medicina e são barrados pela grande desigualdade educacional brasileira, a jovem buscou uma graduação que se aproximasse da cobiçada. Hoje ela cursa o 5º semestre do curso de enfermagem na Faculdade Baiana de Medicina, no Cabula.

A estudante vive com quatro pessoas e a única renda da casa vem a partir do bar que sua mãe é dona, para contribuir na renda e realizar seu sonho Lia já vendeu empada, brigadeiros e atualmente com a pandemia vende pizza delivery (@pizzaria_dasmeninas). Quando questionada sobre o porquê da vaquinha ela destacou: “Pensei em arrecadar uma grana pra o projeto “medicina na Argentina”, já que só o dinheiro da pizzaria não seria suficiente, fiquei com muito medo, mas me joguei de cabeça e lancei a vaquinha, minha namorada me deu a maior força e os professores da faculdade também.”

” Espero poder retribuir para o mundo todo o amor que estou recebendo agora, e usarei a saúde como principal ferramenta. Penso em construir uma clínica beneficente. Pretendo ir para Espanha, passar 4 anos e depois com a cidadania retornar para o Brasil, fazer o revalida e construir uma história aqui. Quero construir uma história nos dois países. Mas sobretudo, meu maior desejo é tirar meus pais do bar, quero dar uma vida melhor para aqueles que sofreram para me criar, e tirá-los das humilhações, meus pais tem uma história muito, muito forte e eu espero conseguir retribuir tudo isso um dia! “, completou.

A meta de arrecadação é de R$8 mil, já incluso passagem, certificado de proficiência de entrada na universidade, aluguel e mobília. Contudo, esse valor não equivale à renda total que essa jovem precisa, o foco é arrecadar o máximo necessário. Quem quiser ajudar pode transferir qualquer valor via pix: liiaborgess@outlook.com.

COMPARTILHAR
Apaixonada pela arte de se comunicar, pois através dela podemos quebrar barreiras. Estudante de jornalismo, ativista e leitora ativa.