Mamães de “primeira viagem” criam grupo no WhatsApp para “trocarem ideias” e iniciativa vira rede de apoio.

Grupo em aplicativo reúne mães de primeira viagem para conversar sobre gravidez, parto, introdução alimentar e educação dos filhos.

A gravidez é um momento especial na vida da mulher e o novo desafio carrega dúvidas e incertezas a diversas mamães, principalmente as “de primeira viagem”. Com o intuito de trocar experiências, sete moradoras do Nordeste de Amaralina, criaram um grupo no whatshapp (aplicativo de troca de mensagens instantâneas) para compartilhar experiências. A partir dai, as mamães construíram uma grande amizade.

Com um nome sugestivo “Mamães do ano de 2018”, o grupo surgiu em janeiro do mesmo ano, e conta com sete mães jovens: Ellen, Ingrid, Noemi, Luana, Ailvani, Elane, e Paula. As garotas tiveram filhos ao decorrer do ano. “Descobrir minha gravidez, junto a dúvidas e emoções. Em uma conversa aleatória com quatro colegas (integrantes do grupo) percebo que estavam gravidíssimas ao mesmo tempo, e o curioso, todas de meninas. Dai, veio a ideia do grupo para trocar informações, ideias de nomes, sugestões. E o melhor que moramos próximas”, explica Elane.

A iniciativa começou com quatro mulheres, entretanto, muitas mães foram inspiradas pelo grupo a se tornaram integrantes. As participantes tiram dúvidas em relação à gestação e ao cuidado com os filhos. As temáticas são muitas: gravidez, parto, puerpério, amamentação, introdução alimentar, educação, dentre outros. “No período da descoberta da gestação, uma sensação de perdida no mundo, sem nenhum tipo de amparo, mãe de primeira viagem com vários questionamentos. Quando entrei no grupo não tinha ideia do significado que ele traria para minha vida. Choros, anseios, descobertas, alegrias, medos, brigas, mas juntas descobrimos que a maternidade pode ser leve. Nós ajudamos mutualmente, através dos nossos relatos de experiência, aconselhando, compartilhando informações e orientando cada uma na sua dificuldade”, diz Noemi, mãe da pequena Nathaly Vitória de um ano e cinco meses.

Para Luana Curvelo de 23 anos o grupo é considerado sua segunda família. “Meu alicerce, desde os momentos de descobertas, medos, estresses, e impotência. A sociedade cristalizou um romantismo em torno da gestação, e na verdade é um período singular na vida da mulher, não é fácil, mas é maravilhoso. Quando nasceu minha pequena, foi um momento de transformação, inesquecível, é um amor incondicional. A mulher passa a perceber a vida com outros olhos, cada choro, sorriso, troca das fraudas, é especial. O grupo me deixou segura”, explica.

Diante de tantos compartilhamentos de vivencias, decidiram então sair do mundo virtual, e promover encontros.” Eu brinco dizendo que são sete mamães, sete meninas, e quatorze amigas. Risos. Cultivamos o vinculo e desejamos que nossas filhas sejam amigas. Realizamos encontros, festejamos os aniversários, sessão de fotos, momentos de lazer, tudo com o intuito de trocar vivencias”, destaca Elane.

COMPARTILHAR
Luis Lago
Amante da Literatura, apaixonado pelas Letras. Discente de Letras Vernáculas e Língua Inglesa, poeta, escritor , blogueiro, professor e Repórter do site NES.