Organizadora de grupo contra Bolsonaro é agredida por homens na porta de casa

Suspeitos fugiram do local do crime em um táxi; caso foi registrado na delegacia

Uma das mulheres que organiza o grupo no Facebook “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro” foi agredida no momento em que chegava em casa, na Ilha do Governador, na zona norte do Rio de Janeiro, na noite de segunda-feira (24). O grupo foi criado contra a candidatura à Presidência da República de Jair Bolsonaro (PSL).

Segundo informações do jornal Estadão, dois homens aguardavam a mulher quase na porta da casa dela e, ao chegar, ela foi agredida com um soco no olho e uma coronhada na cabeça. Após as agressões, os suspeitos fugiram do local do crime levando o celular da vítima. Os dois correram em direção a um táxi, que os aguardava a cerca de um quarteirão de distância. A bolsa e os outros pertences dela não foram levados.

A vítima foi atendida no Hospital Municipal Evandro Freire, na Ilha do Governador. O boletim de ocorrência foi registrado na 37 ª Delegacia de Polícia e o exame de corpo de delito foi realizado no Instituto Médico Legal. A mulher trabalha como coordenadora da campanha do candidato a deputado estadual Sérgio Ricardo Verde (Psol).

No Facebook, o grupo sofreu ataques e teve a conta hackeada, no último dia 15 deste mês. O grupo reúne 2.368.754 mulheres contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência da República. O suposto hacker que teria agido no grupo alterou o nome para “Mulheres com Bolsonaro #17”, teve a foto de capa modificada e as administradoras excluídas. Cerca de duas semanas após a criação, o grupo explodiu em número de acessos.

COMPARTILHAR
NORDESTeuSOU.com.br, o Portal do Nordeste de Amaralina que tem o Objetivo de desfazer o mito de que a comunidade do Nordeste de Amaralina é dominada pelo crime, divulgando ações de esporte, lazer e entretenimento dentro da comunidade bem como notícias externas que direta ou indiretamente.