Restaurante que barrou Jau nega racismo e diz que chapéu do cantor era inadequado

Cantor gravou vídeo denunciando crime

O Sette Restaurante emitiu um comunicado no fim da manhã desta sexta-feira (3) negando ter sido racista com Jau. O cantor foi impedido de entrar no estabelecimento na noite desta quinta-feira (2) por conta do “dress code”.

Na nota, publicada no Instagram, o Sette diz que “adota um código de vestimenta formal, inclusive mostrando placa afixada na porta do estabelecimento.”

Jau e um acompanhante, na visão do estabelecimento, não estavam de acordo. O cantor usava um chapéu e o amigo uma bermuda. Ambos ítens proibidos no local. “Motivos estes que levaram o segurança a informá-lo da necessidade de adequação para acesso ao local”, diz o restaurante.

Ainda segundo a nota, “não há impedimento legal para que bares e restaurantes privados estabeleçam seus códigos de vestimenta (ou dress code), desde que o deixem claro na entrada do estabelecimento, sites e mídias sociais, de modo que o consumidor possa ser previamente informado”. Uma placa na frente do estabelecimento cita essas normas. 

O Sette Restaurante também afirmou que “abomina qualquer ato racista ou discriminatória, prezando por sua conduta democrática e inclusiva, e reforça que apenas existe um dress code para ingresso na casa.”

COMPARTILHAR
NORDESTeuSOU.com.br, o Portal do Nordeste de Amaralina que tem o Objetivo de desfazer o mito de que a comunidade do Nordeste de Amaralina é dominada pelo crime, divulgando ações de esporte, lazer e entretenimento dentro da comunidade bem como notícias externas que direta ou indiretamente.