Conheça a história do hino da festa da Paróquia de São José de Amaralina

“Amaralina se faz hoje um povo para exaltar e louvar São José…”. Há quase trinta anos os versos da composição de Monsenhor Luna são entoados por fieis e devotos que todos os anos lotam a Paróquia São José de Amaralina para louvar o seu padroeiro. No entanto, poucos sabem a verdadeira história do hino.

O ano era 1993. Recém chegado à paróquia em substituição à padre Antônio, já falecido, o paraibano de Católe do Rocha, Juraci Gomes viu a necessidade de um cântico que de fato se identificasse com a comunidade local, como ele mesmo explica:

“Fui pároco da Igreja São José de Amaralina durante onze anos. Quando cheguei nessa comunidade, em 1992, ainda não havia o hino oficial do seu padroeiro. Na época, durante a festa de São José usávamos o cântico “Vinde, alegres cantemos”, que também é belíssimo. No entanto, eu achava que faltava alguma coisa…Certo dia, conversando com Monsenhor Luna, que era um grande amigo, além de um homem muito experiente e cheio de sabedoria humana e de Deus, disse a ele que gostaria de fazer um pedido, que era um hino dedicado à São José. Ele demorou um pouquinho, olhou para mim e disse: Pronto. Já sei o que vou fazer. Poucos dias depois, ele mandou a gravação e a letra do hino de São José que é cantado até hoje”.

Foto: Arquidiocese de Salvador

“Esse hino retrata bem a história desse povo. É um hino que realmente revela nossa face e que com certeza hoje, dia de São José, está ecoando aí pelas praias de Amaralina e subindo ao coração de São José. Que a bondade de Monsenhor Luna e o compromisso dele com a igreja seja reconhecido no céu. Amaralina se faz hoje um povo! Viva a São José. ”, completou Juraci, que é apontado por grande parte da comunidade como um dos grandes responsáveis pelo crescimento da festa.

Sou feliz por fazer parte dessa paróquia muito amada e mais ainda por fazer parte da sua história há mais ou menos 30 anos. Estava inclusive presente quando essa música foi cantada pela primeira vez por nosso saudoso Mons. Gilberto Lunna e nos foi presenteada, em uma das noites do novenário. Foi uma grata surpresa receber de presente uma música tão linda, inspirada em São José e em nossa comunidade paroquial. Sempre me emociono ao ouvi-la e principalmente agora, nesse tempo tão difícil que estamos vivenciando. Como a música tem o poder de nos transportar, logo me recordo com saudade dos grandes eventos que realizávamos no período que antecedia a festa, das novenas, das belíssimas carreatas, missas na praia de Amaralina, procissão luminosa e missa solene campal, com a presença de muitos devotos da cidade, tudo o que há um ano não estamos podendo fazer. Hoje rogo ao glorioso São José, patrono universal da Igreja católica, protetor da Sagrada Família, padroeiro de Amaralina, que interceda por cada um de nós em nossas mais variadas necessidades., principalmente por nossa saúde.

Frequentadora da paróquia há mais de trinta anos, além de devota de São José, Haydee Simões, conta que sempre se emociona ao ouvir o consagrado hino:

“Sou feliz por fazer parte dessa paróquia muito amada e mais ainda por fazer parte da sua história há mais ou menos 30 anos. Estava inclusive presente quando essa música foi cantada pela primeira vez por nosso saudoso Mons. Gilberto Lunna e nos foi presenteada, em uma das noites do novenário. Foi uma grata surpresa receber de presente uma música tão linda, inspirada em São José e em nossa comunidade paroquial”.

“Como a música tem o poder de nos transportar, logo me recordo com saudade dos grandes eventos que realizávamos no período que antecedia a festa, das novenas, das belíssimas carreatas, missas na praia de Amaralina, procissão luminosa e missa solene campal, com a presença de muitos devotos da cidade, tudo o que há um ano não estamos podendo fazer. Hoje rogo ao glorioso São José, patrono universal da Igreja católica, protetor da Sagrada Família, padroeiro de Amaralina, que interceda por cada um de nós em nossas mais variadas necessidades., principalmente por nossa saúde”, emenda Haydee.

O compositor – Filho de Gil Joaquim de Luna e Maria José Viana de Luna o autor do hino de São José e de diversos outros cânticos católicos, José Gilberto de Luna ou Monsenhor Luna, como se tornou conhecido, nasceu no dia  26 de junho de 1932, na cidade de Juazeiro, às margens do Rio São Francisco, no norte da Bahia.

Foi ordenado padre em 8 de dezembro de 1957 em Juazeiro. Em 30 de janeiro de 1966 torna-se Monsenhor da Paróquia do Santíssimo Sacramento e Sant’Ana. Monsenhor Luna destacou-se por ser o mais atuante pároco, no que se refere ao campo social. Era também escritor e assinava uma coluna semanal no Jornal A Tarde. Dentre os seus feitos estão a restauração da Escola Paroquial de Sant’Ana, a fundação da Cruzada Social da Paróquia, o Centro Comunitário Padre Luna, o Movimento Familiar Cristão, a Pastoral da Juventude e a Cruzada Eucarística. Teve ainda grande papel na organização das duas vindas do Papa João Paulo II à cidade do Salvador.  Faleceu em 2006, aos 74 anos, vítima de uma parada cardíaca devido a complicações renais.

Veja a letra do hino:

“Amaralina se faz hoje um povo

para exaltar e louvar São José,

logo exalta e o exalta de novo,

pois o vê como exemplo de fé.

A igreja o venera feliz,

pois o tem como seu padroeiro.

A família igualmente o bendiz

e o proclama seu guia primeiro.

Operário que Cristo sustenta,

com o trabalho de sua oficina,

 nossa fé ele ampara e alimenta,

nos cobrindo com sua bênção divina.

Santo esposo que a esposa respeita,

E jamais procurou difamar,

Seu mistério que induz a suspeita

Ele entende e a consegue salvar

Viva a nossa paróquia amada,

Que o aclama com ardor de pé,

E Amaralina da praia encantada,

Tem sua glória que é São José.

COMPARTILHAR
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU