Anvisa dificulta processo de aprovação da CoronaVac, do Butantan

Porcentagem de documentos pendentes aumentou de ontem pra hoje

A burocracia segue impedindo a aprovação da CoronaVac, vacina anti-covid produzida pelo Instituto Butantan. 

E o painel que faz o acompanhamento da análise dos imunizantes, da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), mostra que aumentou de domingo (10) para esta segunda-feira (11) a quantidade de pendências do imunizante desenvolvido pelo Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Segundo o R7, no domingo faltavam ser entregues 5,18% dos documentos, nesta segunda, na atualização de 7h, o percentual saltou para 5,47%. Também cresceu a faixa no gráfico destinada aos dados pendentes: ontem pela manhã eles somavam  47,83%, hoje são 48,36%.

Somando tudo, o Butantan ganhou mais de 1 ponto percentual de dúvidas para explicar o quanto antes. De 52,74% passou para 53,81%.

A Anvisa tem 10 dias, quatro já passaram, para dizer se libera ou não a aplicação das vacinas para uso emergencial no Brasil. Em nota, publicada em seu site na semana passada, a agência deixou claro que cumpriria o prazo desde que todos os esclarecimentos fossem feitos rapidamente. 

De acordo com a assessoria de imprensa da Anvisa, à medida que evoluem as análises dos documentos, feitas pelos técnicos da agência, é natural que mais informações sejam pedidas. 

Nas últimas 24h, segundo o painel, subiu de 34,58% para 38,07% a quantidade de documentos já analisados na solicitação do Butantan.

A assessoria reforça que, apesar de o percentual de documentos ausentes ser maior, não foram feitos novos pedidos além dos que já haviam sido anunciados pela Anvisa na sexta-feira (8). 

COMPARTILHAR
NORDESTeuSOU.com.br, o Portal do Nordeste de Amaralina que tem o Objetivo de desfazer o mito de que a comunidade do Nordeste de Amaralina é dominada pelo crime, divulgando ações de esporte, lazer e entretenimento dentro da comunidade bem como notícias externas que direta ou indiretamente.