Moradores do Vale e Chapada relatam saudade do “Amarelinho”

Instituído durante a gestão de João Henrique, durante sua passagem à frente da Prefeitura de Salvador, entre os anos de 2004 e 2012, os “amarelinhos” são lembrados com saudade pelos moradores do Vale das Pedrinhas e Chapada do Rio Vermelho. Para os mais novos, o serviço de transporte alternativo complementar, carinhosamente batizado de “amarelinho”, facilitou em muito a vida dos moradores das respectivas localidades que precisavam diariamente subir as ladeiras de ligação entre os dois bairros. A passagem custava metade do valor da passagem dos ônibus convencionais. O serviço acabou extinto pelo atual prefeito de Salvador ACM Neto ainda em seu primeiro ano de mandato.

Em conversa com o Nordesteusou, seu João dos Santos, 92 anos, morador Rua da Arábia, lamenta o fim do benefício:

“Só a gente que sobe e desce essas ladeiras diariamente sabemos o imenso “quebra galho” que eram os amarelinhos. Principalmente, para aqueles de idade avançada, como é o meu caso. Até hoje não entendo porque acabou. Já me serviu e muito”, recorda o aposentado.

Opinião parecida tem dona Maria Antônia, 59 anos, residente na Chapada. Dona Maria Antônia usava diariamente o serviço quando retornava do trabalho e descia no Vale das Pedrinhas.

“Eu já não sou mais menino…Tenho que ficar me humilhando na ladeira pedindo carona… Às vezes alguém resolve me dar uma carona para subir… Eles [a prefeitura] tiraram os amarelinhos sem se quer falar com a gente. Entra ano, sai ano e até hoje nada para a gente”, desbafou.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU