Policiais militares negam que vão entrar em greve

Intenção da categoria não é paralisar as atividades, garante associação

A Associação de Policiais e Bombeiros e seus Familiares da Bahia (Aspra) negou que a Polícia Militar possa deflagrar uma greve como retaliação a morte do soldado Wesley Soares. Parte da categoria realizou uma manifestação na manhã desta segunda-feira, no Farol da Barra, lugar onde o militar que apresentou ‘surto’ foi morto.

Pela tarde ele fizeram uma carreata em direção à Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), o que causou um intenso engarramento em alguns pontos da cidade, como nas Avenidas Bonocô, ACM e Paralela.

De acordo com a assessoria da Aspra, a intenção do protesto nunca foi incitar qualquer tipo de paralisação e sim pedir o afastamento do comandante-geral Paulo Coutinho e cobrar uma investigação transparente, com a participação do Ministério Público, para apurar o caso.

COMPARTILHAR
Redação NES
NORDESTeuSOU.com.br, o Portal do Nordeste de Amaralina que tem o Objetivo de desfazer o mito de que a comunidade do Nordeste de Amaralina é dominada pelo crime, divulgando ações de esporte, lazer e entretenimento dentro da comunidade bem como notícias externas que direta ou indiretamente.